top of page
  • Foto do escritorDario Alexandre

Como praticar na Advocacia Criminal?

Como praticar na Advocacia Criminal?

Como praticar na Advocacia Criminal? Muitos alunos e alunas que acabam de se formar na graduação em Direito e desejam atuar na área criminal, se sentem despreparados para praticar na Advocacia Criminal. Isso é natural, eu também me senti assim no início. Para te ajudar a começar a sua prática na área penal, vou te dar algumas orientações importantes no conteúdo de hoje.

Eu sou a Cris Dupret, advogada criminalista consultora, principalmente na área de Execução Penal, mentora de advogados, presidente do IDPB e há muitos anos venho me dedicando a preparar meus alunos para a atuação na advocacia criminal, justamente por perceber a necessidade desse suporte aos iniciantes na carreira profissional. Vamos falar sobre como iniciar a prática na Advocacia Criminal?

Continue a leitura abaixo:

CONHEÇA O CURSO DE PRÁTICA NA ADVOCACIA CRIMINAL

Desde o atendimento ao cliente até o acompanhamento de flagrante, realização de audiências, acompanhamento de processos, recursos.

CLIQUE AQUI e conheça o curso

Como iniciar a prática na Advocacia Criminal?

Diariamente, recebo pedidos de orientações de como iniciar a prática na Advocacia Criminal. Por isso, decidi trazer aqui 5 passos essenciais para você que já está advogando na área e ainda se sente insegura(o) ou quer iniciar a sua carreira na Advocacia Criminal e possui várias dúvidas de como começar essa grande jornada.

Vale ressaltar que, são apenas orientações ou dicas que considero relevantes diante da minha experiência enquanto imersa neste “mundo da Advocacia Criminal” há mais de 20 anos. Não se trata de uma receita pronta de como iniciar a sua carreira na Advocacia Criminal. Essa não é a minha pretensão aqui. Mas, acredito que, com a minha vivência na prática da Advocacia Criminal, posso te ajudar em algum sentido. Vamos lá?

Passo 1 – Especialize-se na Advocacia Criminal

Inicialmente, posso falar com propriedade que para o sucesso profissional e financeiro na advocacia é preciso lutar muito! Imagina trilhar esse caminho sem um norte? Então, é justamente disso que estou falando.

Nesse sentido, se você decidiu ser um advogado criminalista, agora precisa estudar e se qualificar para tanto. Sim, é muito importante estudar teoria, leis, tratados, jurisprudência e tudo que envolva a matéria Direito Penal e Processo Penal.

Entretanto, você precisa aprender como tudo isso acontece na prática! Por isso, desenvolvi o Curso de Prática na Advocacia Criminal, pensando exatamente nisso: transformar você em especialista na área e capacitado para enfrentar os casos práticos na vida real.

Quando idealizei esse curso, pensei em como poderia trazer segurança e conhecimento prático para aqueles advogados que gostariam de atuar na área, mas não sabiam nem em como dar os primeiros passos. Por isso, o curso de prática penal do IDPB ensina aspectos práticos importantes para o seu desenvolvimento profissional e responde algumas dúvidas comuns: Como escolher um nicho de atuação? Como fazer contato com o cliente? Como se portar em uma audiência criminal? Como atuar em sede policial? Como identificar a peça mais apropriada na defesa do seu cliente? E muitas outras que surgem no início da sua atuação na prática criminal.

Pensei ainda nos demais aspectos que envolvem a prática: os modelos e roteiros de peças, o material de apoio, o networking através do grupo de whatsapp com advogados de todo o Brasil, o ambiente de dúvidas diretamente comigo e muito mais!

O curso ainda possui certificado emitido pelo Instituto de Direito Penal Brasileiro, conferindo grande valor pedagógico e profissional ao certificado, que ainda contém todo o conteúdo programático do curso em seu verso.

Enfim, se qualificar é um dos primeiros passos mais importantes para iniciar a sua carreira na prática da Advocacia Criminal.

Passo 2 – Participe de eventos que envolvam a temática da Advocacia Criminal

Após a finalização do curso de Especialização ou Prática na Advocacia Criminal, até mesmo durante a sua qualificação, participe de eventos relacionados a área criminal, como palestras, congressos, seminários e cursos de atualização/extensão.

Além disso, participe das comissões da OAB, instituições, associações e demais entidades relacionadas ao estudo do Direito Penal e do Processo Penal.

É extremamente importante estar envolvida(o) com pessoas que atuam na mesma área que você, até mesmo para troca de experiências, aprendizado e networking (rede de contatos). Se conectar com profissionais ou grupos que têm o mesmo interesse que você pode ser uma grande vantagem para o início da sua carreira nesta área.

Por isso, no Curso de Prática na Advocacia Criminal do IDPB, eu criei uma forma de interação exclusivo para os alunos e alunas do curso, através de um grupo de whatsapp, que é extremamente proveitoso!

Passo 3 – Faça marketing de conteúdo desde o início da sua qualificação na Advocacia Criminal

Sempre falo que “nossos clientes são pessoas como nós!” Eles também acessam as redes sociais, analisam conteúdo e verificam se o profissional que desejam contratar possui uma expressividade em sua profissão. É preciso dar publicidade ao seu conhecimento, a sua expertise na área! E você não precisa terminar a sua qualificação para começar a fazer marketing de conteúdo. Não perca tempo!

Nesse sentido, o marketing de conteúdo vai te auxiliar a impressionar o seu cliente e fechar bons contratos, além de te proporcionar visibilidade dentro do mercado da Advocacia Criminal.

Dentro desse contexto, te faço algumas perguntas: Você está preparada (o) para essa análise exigente do cliente? E você sabe exatamente o que pode e o que não pode fazer de acordo com o Estatuto da OAB? Você conhece todas as ferramentas tecnológicas que os seus clientes estão utilizando? Suas mídias sociais são condizentes com a de outros profissionais que se apresentam como seus concorrentes? Você conhece todas as ferramentas tecnológicas que os seus clientes estão utilizando?

Assim, deixo aqui uma dica que pode te ajudar e muito nesse passo 3: é o meu Curso de Marketing de Autoridade para Advogados! Os conhecimentos que você irá adquirir neste treinamento permitirão que você alcance o seu objetivo, que é ter uma carreira de sucesso na Advocacia Criminal!

Passo 4 – Faça parcerias com advogados mais experientes e de outras áreas da Advocacia

No início, as parcerias podem ser bastante produtivas e vantajosas. Faça parcerias com escritórios de Advocacia Criminal de outras cidades. Busque na internet os contatos e mande e-mail com uma proposta de parceria.

Você também pode buscar fazer parcerias com escritórios de outras áreas do Direito (Civil, Empresarial, Trabalhista etc.) da sua região. Desta forma, quando eles receberem clientes da área criminal, eles podem te indicar como especialista. É uma ótima forma de captar clientes.

Passo 5 – Não assuma despesas fixas no início da Advocacia

Por fim, um passo essencial para você que escolheu atuar como autônomo: somente tenha um escritório quando realmente houver necessidade. Enquanto não for necessário, utilize as salas da OAB (procure se informar em sua subseção) ou de empresas de coworking (local de trabalho compartilhado), que você terá uma despesa bem menor do que manter um escritório inteiro só para você.

Mas, caso haja a necessidade, então mantenha baixas as despesas fixas do seu escritório até que a sua carteira de clientes cresça e você tenha uma boa receita recorrente.

Uma dica fundamental é criar formas de gerar receitas recorrentes dentro da Advocacia Criminal, como a atuação em “Compliance”, realização de consultorias a escritórios e departamentos jurídicos mediante um pagamento mensal fixo etc.

Em outro conteúdo, posso abordar essa parte de como gerar receitas recorrentes dentro da Advocacia Criminal. Se você tem interesse nesse tema, comente abaixo.

Bom, espero ter contribuído com você que está pensando em iniciar na prática da Advocacia Criminal.

Um forte abraço!

Cris Dupret

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page