top of page
  • Foto do escritorDario Alexandre

O QUE FAZER PARA ADVOGAR NA ÁREA CRIMINAL APÓS A APROVAÇÃO NA OAB?

O QUE FAZER PARA ADVOGAR NA ÁREA CRIMINAL APÓS A APROVAÇÃO NA OAB?

Passar na OAB é um grande desafio para os bacharéis em Direito. o que fazer depois da aprovação na oab?

São cinco anos de muito estudo e dedicação para, ao final, participar de um grande certame e conseguir a tão sonhada e esperada licença para advogar. Afinal de contas, sem ela é impossível avançar.

E depois de passar por esta etapa e ter se tornado, definitivamente, um advogado e uma advogada? 

Quais os passos que temos que tomar? O que fazer para ter êxito na profissão e fazer sucesso com novos clientes? 

Qual área se especializar? Advogar sozinho ou em parceria? Ter um escritório físico ou home office?

 Muitas são as indagações que surgem nas mentes das centenas de advogados e advogadas por todo o país. 

Muitos não sabem o que fazer e acabam se perdendo no decorrer da caminhada. 

De fato, é um momento crucial para tomadas de decisões e, por isso, vamos trazer alguns pontos para o desenvolvimento de estratégias de crescimento no início da caminhada.

Eu sou Ulisses Pessôa, diretor do IDPB, doutor em Direito, autor de diversas obras jurídicas, advogado consultor e mentor de advogados que pretendem atuar na Advocacia Criminal.

Antes de continuar a leitura, assista o vídeo abaixo:

CONHEÇA O CURSO DE PRÁTICA NA ADVOCACIA CRIMINAL

Desde o atendimento ao cliente até o acompanhamento de flagrante, realização de audiências, acompanhamento de processos, recursos.

CLIQUE AQUI e conheça o curso

Advogar em home office ou montar um escritório físico?

Pois é, essa é uma dificuldade inicial para todos os advogados e advogadas iniciantes, qual seja, montar uma sala ou advogar de casa, em home office? 

Qual deve ser a estratégia inicial e, consequentemente, ter êxito diante dela?

A primeira coisa que você deve ter em mente é a sua condição financeira, ou seja, se vale a pena montar uma sala e arcar com todo o ônus financeiro de se manter um lugar fixo. 

Deve-se ter em mente que existem custos fixos e variáveis para se manter um lugar. 

Se a condição econômica está boa, não há problema algum em iniciar desta forma.

Ao contrário, o início pode não ser tão glorioso como se imagina e ter um lugar físico acaba se tornando inviável. 

E aí, esse é o fim? Claro que não! Muitos advogados iniciam seus trabalhos advogando de casa (home office) e fazendo seus atendimentos em locais específicos, tais como: restaurantes, cafeterias e alguns locais indicados pelos próprios clientes.

Outra oportunidade é atender na própria OAB, afinal de contas, não há demérito algum em fazer atendimentos na sala concedida pela OAB.

Com a pandemia da COVID-19, muitos advogados migraram do físico para o home office e resolveram, firmemente, não retornar, otimizando custos e fomentando novas estratégias de atuação e conexão com os clientes. 

Afinal, não há necessidade de um grande espaço para ter ganhos e notoriedade. A internet está aí, exatamente para isso!

Então, se você está começando agora e não possui ajuda de ninguém, não se desespere e inicie no home office. 

Pode ter certeza que você se surpreenderá e buscará estratégia novas para o crescimento e, se for caso, montar a sua própria sala.

E agora: advogar sozinho ou buscar parcerias?

Como se ouve no dia a dia, é muito melhor caminhar em parceria do que sozinho! 

É isso mesmo, independentemente da situação, circunstância ou condição financeira, caminhar em parceria é sempre melhor, pois as oportunidades podem surgir com mais facilidade.

Seja você um iniciante na advocacia, seja você um profissional mais experiente, não hesite em fazer parcerias, pois elas, certamente, trarão mais oportunidades para a sua prática na advocacia.

Por exemplo, mesmo atuando na área criminal, pode-se fazer parcerias em outras áreas, tais como: cível, trabalhista, consumeristas e outras. Entre em contato com advogados dessas respectivas áreas!

Assim, comece a traçar estratégias nesse sentido, monte uma rede de relacionamentos que impulsione parcerias em diversas áreas estratégicas do Direito. 

Isso fará com que haja um crescimento em escala dos seus resultados e a sua advocacia ficará muito mais interessante.

Já sou advogado, preciso continuar estudando depois da aprovação na OAB?

 Por mais inacreditável que possa parecer, esse é um dos maiores erros entre as centenas de advogados e advogadas espalhados pelo país, qual seja, deixar de estudar, deixar de continuar se especializando.

O advogado é um constante estudante das leis, teorias, doutrinas e jurisprudências. 

O Direito vive em constante mudança e os Tribunais, a todo momento, alteram suas orientações. logo, o estudo precisa ser constante.

Atualmente, a advocacia criminal passa por um momento extremamente desafiador, em que as regras processuais são quebradas, as garantias constitucionais fragilizadas e os Direitos Fundamentais relativizados. 

Então, a especialização é a ordem do momento.

Por isso, o IDPB desenvolveu vários cursos de aperfeiçoamento e a sua PÓS-GRADUAÇÃO EM PRÁTICA CRIMINAL para que os advogados possam estudar depois da aprovação na OAB.

Com isso, todo advogado e advogada podem estar antenados com todas as novidades do mercado criminal depois da aprovação na OAB e, principalmente, com a prática criminal em dia para uma nova perspectiva advocatícia.

Não podemos esquecer que o estudo das ciências criminais deve ser voltado inteiramente para a prática, isto é, com o foco principal na prática do dia a dia e, aqui, no IDPB, a preocupação é total com isso, pois os nossos associados e alunos devem estar totalmente preparados para o mercado.

O networking é importante para o crescimento na advocacia criminal depois da aprovação na OAB?

O relacionamento é importantíssimo para se tornar conhecido no meio da advocacia, seja em qualquer área. 

Não seria, obviamente, diferente na área criminal. É o que conhecemos como networking.

O networking é a atitude de trabalhar sua rede de contatos, trocando informações substanciais com fulcro na ajuda mútua. 

Essa atitude inclui diferentes atividades com direcionamento à carreira e negócios, por intermédio da manutenção de relacionamentos interpessoais produtivos.

O advogado criminalista precisa desta atitude para buscar novos relacionamento e, consequentemente, ser visto. 

Por exemplo, participar de associações, voltadas ao Direito Penal, participar de comissões da OAB para que seu nome possa circular pelas seccionais.

Outra ideia de o que fazer depois da aprovação na oab, é participar de conselhos de empresários para e instituições dando palestras e pareceres acerca de determinado assunto concernente às ciências criminais.  

Por isso, com base em tudo que fora mencionado, faz-se imprescindível que o advogado esteja, o tempo todo, movimentando-se e fazendo networking e, jamais, parado no escritório esperando que os clientes caiam do céu e entrem pela porta e pedindo um determinado serviço.

O que fazer depois da aprovação na oab? Busque um nicho na advocacia criminal

Talvez você já tenha ouvido que, na advocacia generalista, é muito complicado se manter.

É isso mesmo, quanto mais generalista, menos clientes, pois o mercado, há tempos, tem reivindicado especialistas nas respectivas áreas do Direito.

Na área criminal não é diferente. O advogado precisa mergulhar em uma esfera específica e se tornar um especialista.

Portanto, o que fazer depois da aprovação na oab? Primeiramente escolher um nicho de atuação!

É o que chamamos de “nichos da advocacia criminal”.

Assim, existem alguns nichos dentro da advocacia criminal que são interessantes para o crescimento dentro da sua atividade, tais como: execução penal, audiência de custódia, júri e outros.

Aqui no IDPB, por exemplo, temos o curso de execução penal, o “decolando na execução penal” que ensina o passo a passo para se tornar um grande advogado, uma grande advogada na prática propriamente dita. 

Pode ter certeza que você não aprendeu execução penal na faculdade como aqui no IDPB! 

Portanto, a resposta da pergunta: o que fazer depois da aprovação na oab? Pode ser seguir a advocacia em execução penal!

Outra área interessante que tem curso aqui no IDPB é a audiência de custódia, no curso “audiência de custódia na prática”.

Nesse curso você vai aprender como fazer corretamente uma audiência de custódia e deixá-la mais humanizada para conseguir a soltura do seu cliente.

E aí, já pensou nisso tudo? O que fazer depois da aprovação na oab? Vem conosco no IDPB (Instituto Direito Penal Brasileiro) e tenha uma advocacia criminal totalmente inovadora e diferenciada para os padrões do mercado.

Leia também:

Como começar na Advocacia Criminal
Como montar peça penal?

0 visualização0 comentário
bottom of page