top of page
  • Foto do escritorDario Alexandre

Como e quanto cobrar de honorários na Advocacia Criminal

Como e quanto cobrar de honorários na Advocacia Criminal

Este é um tema que gera muitas dúvidas, principalmente entre os advogados iniciantes na Advocacia Criminal. E essa dúvida é mais do que natural já que é fundamental saber como cobrar e o quanto cobrar dos nossos clientes

Eu sou a Cris Dupret, consultora jurídica, advogada criminalista e mentora de centenas de advogados e advogadas que desejam se especializar na Advocacia Criminal e buscam uma preparação teórica e prática adequada para a sua atuação na área penal.

No artigo de hoje, trago orientações rápidas, porém muito importantes sobre o tema para você que não sabe como e quanto cobrar os seus honorários na Advocacia Criminal! Já atuo nessa área há anos e vou te dar dicas bem práticas! Vamos lá?

O Curso de Prática na Advocacia Criminal te ensina desde os aspectos mais básicos como o atendimento ao cliente, até as atuações mais complexas como a sustentação oral. E ele está com uma condição imperdível! Para ter acesso vitalício ao curso CLIQUE AQUI e ao fazer sua matrícula, escolha o acesso vitalício – ao invés de 1 ano de acesso, você poderá acessar enquanto o curso existir!

Como definir os valores dos honorários

Eu sei que é desafiador, mas no início, o primeiro passo é deixar de cobrar valores inferiores aos da tabela da OAB. Adote isso como regra de cobrança conforme a tabela da OAB em relação a todo cliente que procurar seu escritório.

Claro que toda regra tem suas exceções e não existe fórmula matemática para definir isso. Vai depender da sua sensibilidade ao caso. Porém, reflita bastante antes de flexibilizar a regra. Veja se realmente, de fato, o caso “merece” ser essa exceção.

Um ponto importante é que, eventualmente, podem surgir casos de atuação “pro bono”, que são aqueles casos em que você decide atuar gratuitamente, de forma voluntária. Esses casos, claro, estão dentro da exceção.

Por fim, com a fixação da cobrança dos honorários conforme a tabela da OAB, o advogado pode chegar a uma fase em que apenas aceita clientes que tenham sido indicados, evitando assim o atendimento de quem tenha encontrado seu contato na internet e não esteja procurando qualidade e experiência, mas sim valor baixo de honorários.

A importância do contrato de honorários advocatícios

Com tantas formas de se relacionar com clientes, hoje boa parte de nossa rotina se resolve por mensagens instantâneas de celular. Fechar contratos e honorários não é muito diferente. Não há nada de errado nisso, se você formalizar o acordo verbal em um contrato.

Quando se assume um processo-crime, é necessário que se faça um contrato de honorários bem-feito, com muita clareza, não deixando margem para dúvidas futuras.

De fato, a solenidade não é obrigatória, e a inexistência dela não complica o pagamento. Mas, ao abrir mão dessa segurança, os riscos surgem. Um deles é a inadimplência.

No Curso de Prática na Advocacia Criminal, você aprende que o contrato é indispensável! No curso, você tem acesso a modelos de contratos, além de modelos de peças processuais, roteiros de elaboração e procurações. Isso pode ajudar muito o advogado, principalmente, iniciante!

Vale ressaltar que, o pagamento dos honorários deve ser em moeda corrente nacional, nunca aceite receber bens, como carros, imóveis etc. Sim, isso pode acontecer! E, não! Isso não dá certo!

Outra dica importante: cobre preferencialmente 50% (cinquenta por cento) dos teus honorários como sinal, podendo parcelar o restante ou não. Vai depender de cada caso. Você também pode parcelar os honorários em cartão de crédito. E não é necessária nenhuma grande estrutura para isso. No Curso de Marketing Jurídico Digital, nossos alunos aprendem como configurar essa forma de pagamento em apenas alguns minutos.

Bom, esse assunto tem muitos detalhes, e se você ainda ficou com alguma dúvida, comente aqui abaixo!

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page